UM GOLPE DE MESTRE

A partir de hoje, deixo de escrever no blogonoff para me dedicar ao meu novo blog, o http://www.luladobem.com.br. Mas não é este o golpe de mestre a que me refiro. Veja abaixo:

Golpe-de-Mestre-1

A ideia nasceu em um grupo de oficiais das forças armadas e merece crédito. A sugestão é que o presidente Bolsonaro mude a cor das cédulas de R$ 100,00, R$ 50,00 e R$ 20,00 e permita a troca das antigas pelas novas somente até o dia 31 de dezembro de 2019. Aquelas que não forem trocadas, perderão o valor. Isso não resolve o problema da corrupção no país, mas os ladroões e corruptos que guardam dinheiro em espécie atrás das paredes, em buracos ou em imóveis alugados para este fim, ficarão indóceis.  

BONNER E BOLSONARO

Resultado de imagem para bolsonaro no video

foto: br.sputniksnews

Você com certeza gosta de ouvir uma musica interpretada por uma voz bonita, sonora, agradável. Uma voz Fred Mercury, por exemplo. E também, gosta de ouvir aquela voz de locutor de FM, grave, impostada. Um Cid Moreira (lembra dele?). Ou ainda a voz de um William Bonner no Jornal Nacional. Mas aqui pra nós, ouvir a voz do presidente Bolsonaro é um pé no saco e, pior ainda,  quando a voz vem a junto com a imagem. Coitado! Lingua presa, pouco simpático, rende mal no vídeo, e isso prejudica a construção da imagem pessoal do presidente. Mas tudo isso tem jeito. No meu tempo de jovem, a terapeuta Glorinha Beuttenmüller corrigia a voz de qualquer um. Era a preferida dos locutores de TV, mas outras hão de estar prontas para fazer de Bolsonaro, o Bonner dos vídeos.

 

O COAF, A FOCA E O TORPEDO

Resultado de imagem para foca

Foto; pt.wikipedia.org 

Mesmo sendo uma notícia requentada, vale comentar que por 228 a 210 votos, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou, antes de ontem, a volta do COAF para o Ministério da Economia fato que, para alguns, representa uma derrota do ministro Sérgio Moro. Não me parece. Se o governo é o mesmo e toda a estrutura do COAF será transferido para o outro ministério, é sinal de que a mesma postura de rigidez, ou seja, que as investigações contra a corrupção que apavora, certamente, alguns dos 228 deputados que votaram a favor da transferência, vão continuar. Para os maus políticos e para todos nós, o órgão continua prestando uma enorme ajuda contra a corrupção. Uma dedução interessante é que as mesmas letras do COAF podem formar a palavra FOCA e o órgão se assim se chamasse, ficaria bem mais próximo da sua real finalidade, já que a FOCA tem o corpo hidrodinâmico, semelhante a um torpedo.

A UNIVERSIDADE DO BEM

Resultado de imagem para USP

Foto:pragmatismopolitico.com.br

Se você entrar no site http://versalarios.com.br.usp e buscar na Consulta simplificada da Remuneração dos Funcionários da USP, saberá o salário dos 50 de seus principais professores. Os valores são altos, embora merecidos, por se tratar da melhor universidade do país. Mas é preciso que, como mestres, os abonados tenham consciência do que se passa no Brasil e não incentivem movimentos estudantis como os recentes, de cunho apenas político, para que não se deforme a imagem da USP do Bem!  

Maiores Salários da USP

Professor Salário
1- Arrigo Leonardo Angelini – Professor Catedratico R$ 68.241,40
2-Sergio de Iudicibus – Professor Titular R$ 53.714,00
3-Boris Fausto – Procurador R$ 50.766,70
4-Affonso Renato Meira – Professor Titular R$ 47.719,20
5-Antonio Morales – Professor Catedratico R$ 45.560,10
6-Antonio Morales – Professor Catedratico R$ 45.560,10
7-Maria Sylvia Carvalho Franco – Professor Titular R$ 44.915,40
Outros mais….  
50-Fernando Mauro Lanças – Professor Titular R$ 31.045,20

ATÉ A VINDA, ATÉ A VOLTA!

FOTO Eu e os Maitelli

Depois de trabalhar por um ano no “Projeto Sífilis Não”, do Ministério da Saúde através desta empresa fantástica, de pessoas fantásticas que é a FUNPEC, uma fundação de pesquisa e cultura, ligada à UFRN, deixo a empresa no próximo dia 28 de maio com a sensação de que o dever foi cumprido. Esta sensação se reafirma diante das manifestações dos diretores e colegas da  FUNPEC, através de 5 almoços realizados até agora tendo, todos, como cardápio, um ingrediente de sabor inigualável: o carinho.

Hoje, 4ª. feira, 22 de maio, o almoço com a diretoria me reservou uma surpresa enorme com o recebimento de uma placa com a marca da FUNPEC e uma mensagem de reconhecimento pelo trabalho realizado, que me deixou profundamente emocionado. Agradeço a cada um daqueles colegas representados aqui pelo diretor, Professor André Maitelli, sua simpática esposa, a professora Sra.Carla Maitelli, (foto) o vice-diretor Gumercindo Fernandes, a gerente Marly Silva, o coordenador Ithamar Cortês e as coordenadoras Andrea Mara e Iara Guedes.

FOTO - MINHA PLACA

Acabo de receber também um bonito porta retratos das mãos de Conceição, Rosi, Duce, Iving e Geise, em nome de todos os demais, com a foto do grupo que participou de um dos almoços. Assim não há coração que resista.

Dia 2 de junho vou ao Recife, passo três dias por lá e viajo para o Rio de Janeiro com a pretensão de ficar cerca de dois meses em “dolce far niente”, entre Vila Isabel e Angra, sem compromisso com nada, descansando, escrevendo e revendo os amigos e os lugares da terra natal, até que apareça o próximo desafio. Aos amigos do Recife e do Rio, até a vinda! Aos de Natal, até a volta.

AINDA MAMANDO A 519 ANOS

Resultado de imagem para MAMADEIRA GIGANTE

Imagem: fantasiasdoo.com.br

Alexandre Szn

Temos muito para agradecer a Bolsonaro.

Bastaram 5 meses de um governo atípico, “sem jeito” com o congresso e de comunicação amadora para nos mostrar que o Brasil nunca foi, e talvez nunca será, governado de acordo com o interesse dos eleitores. Sejam eles de esquerda ou de direita. Desde a tal compra de votos para a reeleição, os conchavos para a privatização, o mensalão, o petrolão e o tal “presidencialismo de coalizão”, o Brasil é governado exclusivamente para atender aos interesses de corporações com acesso privilegiado ao orçamento público. Não só políticos, mas servidores-sindicalistas, sindicalistas de toga e grupos empresariais bem posicionados nas teias de poder. Os verdadeiros donos do orçamento. As lagostas do STF e os espumantes com quatro prêmios internacionais são só a face gourmet do nosso absolutismo orçamentário.

Todos nós sabíamos disso, mas queríamos acreditar que era só um efeito de determinado governo corrupto ou cooptado. Na próxima eleição, tudo poderia mudar. Infelizmente não era isso, não era pontual. Bolsonaro provou que o Brasil, fora desses conchavos, é ingovernável. Descobrimos que não existe nenhum compromisso de campanha que pode ser cumprido sem que as corporações deem suas bênçãos. Sempre a contragosto.

Nem uma simples redução do número de ministérios pode ser feita. Corremos o risco de uma MP caducar e o Brasil ser OBRIGADO a ter 29 ministérios e voltar para a estrutura do Temer. Isso é do interesse de quem? Qual é o propósito de o congresso ter que aprovar a estrutura do executivo, que é exclusivamente do interesse operacional deste último, além de ser promessa de campanha? Querem, na verdade, é manter nichos de controle sobre o orçamento para indicar os ministros que vão permitir sangrar estes recursos para objetivos não republicanos. Historinha com mais de 500 anos por aqui.Que poder, de fato, tem o presidente do Brasil? Até o momento, como todas as suas ações foram ou serão questionadas no congresso e na justiça, apostaria que o presidente não serve para NADA, exceto para organizar o governo no interesse das corporações. Fora isso, não governa. Se não negocia com o congresso, é amador e não sabe fazer política. Se negocia, sucumbiu à velha política. O que resta, se 100% dos caminhos estão errados na visão dos “ana(lfabe)listas políticos”?

A continuar tudo como está, as corporações vão comandar o governo Bolsonaro na marra e aprovar o mínimo para que o Brasil não quebre, apenas para continuarem mantendo seus privilégios. O moribundo-Brasil será mantido vivo por aparelhos para que os privilegiados continuem mamando. É fato inegável. Está assim há 519 anos, morto, mas procriando. Foi assim, provavelmente continuará assim. Antes de Bolsonaro vivíamos em um cativeiro, sequestrados pelas corporações, mas tínhamos a falsa impressão de que nossos representantes eleitos tinham efetivo poder de apresentar suas agendas.

Era falso, FHC foi reeleito prometendo segurar o dólar e soltou-o 2 meses depois, Lula foi eleito criticando a política de FHC e nomeou um presidente do Bank Boston, fez reforma da previdência e aumentou os juros, Dilma foi eleita criticando o neoliberalismo e indicou Joaquim Levy. Tudo para manter o cadáver procriando por múltiplos de 4 anos. Agora, como a agenda de Bolsonaro não é do interesse de praticamente NENHUMA corporação (pelo jeito nem dos militares), o sequestro fica mais evidente e o cárcere começa a se mostrar sufocante. Na hipótese mais provável, o governo será desidratado até morrer de inanição, com vitória para as corporações. Que sempre venceram. Daremos adeus Moro, Mansueto e Guedes. Estão atrapalhando as corporações, não terão lugar por muito tempo.

Na pior hipótese ficamos ingovernáveis e os agentes econômicos, internos e externos, desistem do Brasil. Teremos um orçamento destruído, aumentando o desemprego, a inflação e com calotes generalizados. Perfeitamente plausível. Claramente possível. A hipótese nuclear é uma ruptura institucional irreversível, com desfecho imprevisível. É o Brasil sendo zerado, sem direito para ninguém e sem dinheiro para nada. Não se sabe como será reconstruído. Não é impossível, basta olhar para a Argentina e para a Venezuela. A economia destes países não é funcional. Podemos chegar lá, está longe de ser impossível.

Agradeçamos a Bolsonaro, pois em menos de 5 meses provou de forma inequívoca que o Brasil só é governável se atender o interesse das corporações. Nunca será governável para atender ao interesse dos eleitores. Quaisquer eleitores. Tenho certeza que esquerdistas não votaram em Dilma para Joaquim Levy ser indicado ministro. Foi o que aconteceu, pois precisavam manter o cadáver Brasil procriando. Sem controle do orçamento, as corporações morrem.

O Brasil está disfuncional. Como nunca antes. Bolsonaro não é culpado pela disfuncionalidade, pois não destruiu nada, aliás, até agora não fez nada de fato, não aprovou nada, só tentou e fracassou. Ele é só um óculos com grau certo, para vermos que o rei sempre esteve nu, e é horroroso.

Infelizmente o diagnóstico racional é claro: “Sell”.

PACIÊNCIA, MUITA PACIÊNCIA.

Resultado de imagem para paciência, muita paciência

Imagem: bog.org.br.

As redes sociais mostram as manifestações contra o atual governo, embora em quantidade menor que as manifestações a favor. E isso é natural porque eles foram eleitos com a promessa de mudar o que se fez de errado no Brasil, e toda mudança gera resistência. A verdade é que corrupção, roubalheira, o toma lá-dá cá com os políticos, tudo isso está sendo evitado e o resultado é que dificulta a gestão porque os políticos se acostumaram com os “arranjos” de outrora. Além disso, o presidente está longe de ser o rei da simpatia, pelo contrário. Além de pegar um país arrasado econômica e socialmente, ainda tem gente tentando empurrá-lo ladeira abaixo diariamente. Isso não é fácil. Mas não se surpreendam. Como ser humano, de pavio curto, e comprometido com sua promessa de campanha, ele vai reagir. E deixar sua marca. A reação de Lula no Governo foi causar o maior rombo entre todos os países do mundo. A reação de Dilma foi tentar esconder sua incompetência por trás de pronunciamentos que viraram chacota pelas redes sociais. A reação de Temer, assim como o Lula foi montar uma quadrilha em benefício próprio e ser proclamado como chefe. Bolsonaro está no governo há 5 meses e, aos trancos, barrancos, armadilhas, traições, tem se mostrado coerente com as suas convicções. Vamos ver até onde vai a sua paciência.

OS COVEIROS DA NAÇÃO BRASILEIRA

COVEIRO

O texto é do jornalista Ângelo Castelo Branco e ganhou muitas visualizações  no face. Merece ser compartilhado aqui.

Deputados, senadores e governadores contrários aos projetos de reforma da previdência social e à modernização do estado, ganharão retratos póstumos na moldura reservada aos coveiros da nação brasileira. Em vida, eles são zumbis da velha política que se alimentam da miséria humana e sangram votos da pobreza e da ignorância ingênua do povo.

Somos uma nação de gente triste onde políticos, geralmente despreparados e prepotentes, semeiam a desesperança e amealham privilégios imorais à custa do imposto pago pelos catadores de lixo.

E no entanto, qualquer manhã dessas, quando o sol clarear a verdade, seremos um povo rico e feliz. As agressões morais e ideológicas serão apenas lembranças para um capítulo extra dos “Tristes Trópicos”.

 

O TRANSTORNO DE CADA UM DE NÓS

Ansiedade 0

O texto é copiado do blog Os Vocacionados do qual sou um curtidor permanente. Ele diz que a principal característica do transtorno é o pensamento voltado para o futuro: há a sensação permanente de que algo desconfortável ou mesmo catastrófico pode acontecer. Na tentativa de fugir de ameaças imaginárias, muitos deixam, por exemplo, de ir a uma festa para evitar o julgamento alheio ou de sair de casa com receio de sofrer um ataque de pânico. Felizmente, há tratamento. O primeiro passo é reconhecer quando a preocupação está passando dos limites e buscar ajuda médica ou psicológica. Vejam alguns exemplos:

Ansiedade 1

Ansiedade 2

ansiedade 3

ansiedade 4

Ansiedade 5

ansiedade 6

CUIDEM-SE!

PACIÊNCIA TEM LIMITE.

Resultado de imagem para paciência tem limite

foto: statusimagem.com

As redes sociais mostram as manifestações contra o atual governo, embora em quantidade menor que as manifestações a favor. E isso é natural porque eles foram eleitos com a promessa de mudar o que se fez de errado no Brasil, e toda mudança gera resistência.  Corrupção, roubo, o toma lá-dá cá com os políticos, tudo isso está sendo evitado e o resultado é que dificulta a gestão porque os políticos se acostumaram com os “arranjos” de outrora. Além disso, o presidente está longe de ser o rei da simpatia, pelo contrário. Além de pegar um país arrasado econômica e socialmente, ainda tem gente tentando empurrá-lo ladeira abaixo. Isso não é fácil. Mas não se surpreendam. Como ser humano, de pavio curto, e comprometido com sua promessa de campanha, ele vai reagir. E a reação pode vir de várias formas.A reação de Lula no Governo foi causar o maior rombo entre todos os países do mundo. A reação de Dilma foi tentar esconder sua incompetência por trás de pronunciamentos que viraram chacota pelas redes sociais. A reação de Temer, assim como o Lula foi montar uma quadrilha em benefício próprio e ser proclamado como chefe. Bolsonaro está no governo há 5 meses e, aos trancos, barrancos, armadilhas, traições, tem se mostrado coerente com as suas convicções. Vamos ver até onde vai a sua paciência.