Whatschato

whatsappUsar o whatsapp é uma arte. Reenviar tudo o que se recebe indiscriminadamente é fazer o feitiço virar contra o feiticeiro. A maioria pensa que, ao enviar um monte de mensagens, de todos os tipos, transforma o remetente em autor. Manda-se mensagens sem saber que cada destinatário tem seu perfil, manias e gostos próprios. O segredo para ter sucesso no Whatspp é analisar o quê e para quem enviar. Para não se tornar um Whatschato.

Conheça o ZÉBRA – ZÉ DE BRASÍLIA.

zebra--steel

 

Artigos exclusivos para pessoas pacientes e maiores de 18 anos

Procurando um espaço para depositar meus palpites, geralmente controversos, encontrei este blog. Como se diz democrático, onde até os palpiteiros têm espaço para inserir suas provocações, resolvi estacionar por aqui e escrever o que quiser e quando quiser, já que não gosto de compromissos. Claro que o blog não vai publicar tudo o que eu escrevo, porque não são doidos. Escrevo sobre o que me vier à cabeça. Estudei e lidei com a comunicação por vários anos, muitos como aluno e ouvinte, outros poucos como professor. Trabalhei muito e agora cansei. Vivo com uma pequena renda sem ter grandes pretensões materiais. Não fumo, bebo pouco e não participo de jogos de azar, para sorte minha. Hoje faço apenas o que me faz bem, como escrever. Aqui, vão rolar comentários sobre assuntos de hoje, de ontem, e quem sabe do amanhã. Se você quer ser meu leitor, seja bem-vindo. Se não quiser, dane-se.

PlayCafé

coffee-393836_960_720Começamos um novo formato, acho que uma conversa ampla e bem conduzida vale tanto quanto um texto e por isso temos um podcast para falar sobre comunicação e tecnologia, como essas duas coisas tem se fundido e gerado um novo mundo de possibilidades. E aí vc é uma funcionária pública e decide mudar de vida. Decide ser uma competidora internacional de fisiculturismo. As redes sociais te dão um impulso daqueles e quando vê se tornou uma influenciadora digital que anda pelo mundo. Esse é o resumo da história de @amandalifestyle que conta tudo aqui no PLAYCAFÉ. Ouça agora e saiba tudo o que rolou nessa entrevista muito engraçada e instrutiva! #podcast#podcasters #content #playcafe

https://www.facebook.com/playcafeoficial/

 

TEMER, EUNÍCIO E CARMEM LUCIA

oi 2

A ideia da existência dos três poderes, que vem desde o tempo de Aristóteles, embora a Teoria da Separação dos Poderes tenha sido registrada por Montesquieu em seu livro O Espírito das Leis, de 1748, sugere que a autoridade seja distribuída por meios legais, para que se evite o arbítrio e a violência. A descrição do autor sobre a separação dos poderes em Executivo, Judiciário e Legislativo, teve influência na criação da Constituição dos Estados Unidos da América. O Professor Joaquim de Arruda Falcão Neto, mestre em Direito pela Universidade de Harvard e doutor em Educação pela Universidade de Genebra, falando para uma seleta plateia de juristas sobre o tema “Separação dos Poderes: Harmonia ou Competição”, enfatizava a importância de uma competição construtiva e de convivência harmônica entre os poderes da república (falava do modelo e não da realidade brasileira), para que a aplicação das leis se faça de forma eficiente. A gente sabe que o professor tem razão quando afirma que Poder Judiciário é um dos que mais têm feito esforços de mudanças no Brasil, mas que para desempenhar ainda melhor as suas funções, seria importante estender os conhecimentos da área de economia e gestão aos seus representantes afirmando que, quanto mais eficiente for um juiz, mais os direitos do cidadão estarão garantidos. Está certo, o Professor Joaquim Falcão, mas não seria também importante estender esses conhecimentos aos outros dois Poderes? Se nós, profissionais de marketing, mesmo sem estarmos entre esses poderes, precisamos conhecer, também, de economia e gestão, de produção, de armazenamento e distribuição de produtos, de pesquisas, do perfil do consumidor, de web, comunicação em todas as suas variáveis, tudo isso para poder incentivar o consumo e fazer crescer a economia, é sinal de que a premissa do Professor Joaquim Falcão vale para todos os poderes. Da República ou não.

AS MARAVILHAS DA TERCEIRA IDADE

atividade-fisica-terceira-idadeUma série de vantagens vem alimentando o dia-a-dia dos que passaram dos 60 anos. Meus amigos garantem que não abrem mão de todas elas, oferecidas pelo governo e a sociedade. Nos bancos e casas lotéricas, usam a fila privilegiada. No ônibus, só abrem mão dos lugares que lhes são reservados se alguma mulher grávida ou as de decote largo se aproximem. Ficaram velhos, mas continuam atentos. Inácio, meu simpático amigo, completara 60 anos recentemente e levou seu neto ao cinema, mas encontrou uma fila enorme para a compra de ingressos. Ele imaginou que pudesse ter uma fila especial para os velhinhos e foi pesquisar na bilheteria. E lá estava realmente uma placa apontando o local privilegiado, com apenas 3 pessoas à frente. E não foi só isso. Uma moça de uns 25 anos que estava ao lado da fila, falava para o cidadão que estava à minha frente: – “pai, não esqueça que você paga meia entrada por ter mais que 60 anos !”. Inácio não acreditou no que ouvia. Por ser uma quarta-feira onde os cinemas incentivam o preço da entrada, e por pagar meia ou ainda por ter ganho um cupom de desconto de 50% no filme anterior, Inácio e o neto pagaram, juntos, cinco reais e cinquenta centavos. Tudo terminaria bem para o bolso do alegre vovô se não existisse um tal de McDonalds e um tal de Planeta Bombom. Mas os ventos continuam soprando favoráveis para a turma da terceira idade. Uma revista semanal apontou, recentemente, a preferência de empresários por contratar profissionais com mais de 60 anos aproveitando toda a experiência e informação acumulada ao longo dos anos. Filmes sobre o assunto são exibidos em outros cinemas. Mas o meu amigo Inácio ainda tem a expectativa de que novas medidas sejam baixadas para seu deleite, como o “bolsa velhice”, um dinheirinho a mais na aposentadoria para fazer a alegria da velharada. Ou um desconto combustível para os que não aproveitam a benesse da gratuidade nos ônibus. Para que possam visitar os filhos e netos distantes, um descontão nas passagens aéreas. E, finalmente, àqueles que precisam, seria dado pelo menos um pacote de viagra por mês, porque mesmo na velhice, o amor continua lindo.

“Pós-Verdade”?

question-mark-460869_960_720Estamos vivendo 1984. Você já se sentiu patrulhado ideologicamente? Já viu alguém argumentar usando conceitos e ideias totalmente contraditórios, como se eles se completassem, só para defender um ponto de vista? Já sentiu que a sociedade está dividida? Já notou que a cada dia surge um novo termo como “Problematização”, “Apropriação Cultural”, “Pós-Verdade”? O conceito de pós verdade é particularmente interessante. A Oxford Dictionaries definiu como um adjetivo “que se relaciona ou denota circunstâncias nas quais fatos objetivos têm menos influência em moldar a opinião pública do que apelos à emoção e a crenças pessoais”. É aquela história do Não tenho provas mas tenho a convicção. A gente simplesmente ignora fatos, dados e eventos que obriguem o nosso cérebro a fazer um esforço a mais, a pensar além do que estão nos dizendo, ou do que está diante dos nossos olhos. Se os fatos são complexos demais para serem avaliados, então vamos ficar com as nossas convicções e defende-las com unhas e dentes. Daniel Kahneman chama isso de “cognição preguiçosa” (Leia também Rápido e Devagar. Duas formas de Pensar). Mas tudo isso foi previsto há muito tempo, por um escritor chamado George Orwell em 1948, quando ele publicou o romance 1984. Até o Big Brother tá lá. Dá uma lidinha.

Danilo Portela. Redator Publicitário.

A CIDADE FALIDA DO JAPÃO

3116934-1Há alguns anos, um dos vencedores do Grande Prêmio de Promo, em Cannes,

trabalhou em cima de um briefing diferente. O objetivo era buscar uma solução que

fizesse o bem a toda uma cidade, falida, que era o produto em questão. A cidade de

Yubari, no Japão, faliu em 2007, com uma dívida de US$ 353 milhões. A solução do

Governo foi chamar uma agência de comunicação – eles sempre as chamam na hora

do aperto – para buscar uma fonte sustentável de receita para a cidade e trazer de

volta a auto-estima da população. A agência descobriu que Yubari é a cidade

japonesa com o menor índice de divórcio de todo o Japão e, calcada no conceito "sem

dinheiro, mas com muito amor" criou um casalzinho de personagens e divulgou a

cidade como destino turístico para os casais felizes reafirmarem seu amor. Em pouco

tempo a dívida já havia sido aliviada em US$ 31 milhões. Pode ser uma sugestão para

a falida Rio de Janeiro?

 

O ENXOVAL, UMA HISTÓRIA REAL!

camisa-social-branca-e-azul-claro-n-1-d_nq_np_758701-mlb20403837285_092015-fO rapaz entrou numa loja de roupas do shopping. Queria comprar uma camisa social nova para usar com uma calça que ele já tinha, e se apresentar na entrevista de um novo emprego. Ele precisava estar bem vestido. Afinal, sempre lhe disseram que a embalagem é um dos aspectos mais importantes de marketing. Ao ouvir as razões da compra, o vendedor perguntou a que tipo de emprego o cliente estava se candidatando. O rapaz respondeu que era numa grande construtora, uma das líderes de mercado, e que a entrevista era muito importante. O vendedor sugeriu, então, que ele comprasse um terno e se apresentasse ainda mais bem vestido. Para resolver o problema da compra não planejada, o crediário ajudaria. O rapaz, que ia comprar apenas uma camisa comprou um terno, a camisa e ainda gravata, meia e sapato. Duas semanas depois, o vendedor ligou para o rapaz, para saber como havia sido a entrevista. O cliente, surpreso e satisfeito, disse que a entrevista foi ótima, que começaria a trabalhar dentro de uma semana e que mais tarde passaria na loja para comprar mais algumas peças de roupa. Esta história mostra que a postura e ações de relacionamento, da parte de quem vende, são muito importantes, só que poucos vendedores têm, hoje, esse cuidado. Quem fizer isso, vai fidelizar seu cliente e todos os outros que ele, com certeza, vai indicar, porque fatos assim, que infelizmente são raros, viram comentários em qualquer roda de amigos ou são citados em artigos como

este. Esta história se aplica em qualquer situação onde alguém à sua frente, pode ser chamado de cliente. Você não acha?

BELEZA PÕE MESA

04612268500Matéria da Agência Estado destacava a importância do relacionamento da marca com o consumidor trazendo a constatação de que as lojas de produtos populares, localizadas no centro da cidade, que antes eram apertadas e bagunçadas, se transformaram em ambientes bonitos, agradáveis, organizados, bem iluminados, refrigerados e oferecendo serviços, além de produtos. Algumas instalaram escadas rolantes, jardins com bancos e cascatas e até um lounge com TV de plasma, água e café como cortesia, para que o cliente descanse durante as compras. Isso tudo mantendo a pratica do preço baixo. Alguém duvida desta receita? O objetivo é tratar o cliente com a mesma mordomia que outras lojas dão ao consumidor de luxo. Como preço é o item mais fácil de ser copiado pela concorrência, vai se destacar a empresa que colocar a satisfação do cliente no seu foco de marketing. Em São Paulo, consumidores de baixa renda foram a três redes varejistas e deram o item preço como fator decisivo de compras, mas a loja apontada como preferida foi a que praticava preços um pouco mais altos, segundo pesquisa realizada pelo professor Juracy Parente, da FGV. As declarações eram que “a loja oferecia alto nível de serviço e tinha  um bom visual”. Quem acha que beleza não põe mesa, pode tratar de mexer no ambiente de sua loja para oferecer além de preço baixo, alguma coisa a mais aos seus clientes.