O PESADELO UBER II

Resultado de imagem para pesadelo uber

Há três dias eu publiquei aqui uma matéria com o título O PESADELO UBER com uma crítica àquela empresa e em defesa de seus motoristas. O pesadelo acontece também nos Estados Unidos. A mídia publicou, ontem, um movimento em Nova Iorque onde os aplicativos e os taxis se juntaram para pedir que se encerrasse a demanda por novos motoristas porque já eram muitos, e as corridas estavam se dividindo entre eles provocando diminuição nos ganhos. Disse e afirmo que o projeto UBER é fantástico para a UBER, para nós consumidores e para o governo ao diminuir o desemprego no Brasil, mas está sendo um castigo para seus motoristas que sofrem descontos bem maiores que os 25% combinados. Coincidência ou não, após o meu artigo, o preço da corrida entre minha casa e a Universidade onde trabalho, de ida e volta, que faço quatro vezes ao dia, subiu de R$ 13,00 reais em média, para R$ 20,00 nesta quinta feira, sem chuva ou outro evento que justificaria a tal tabela dinâmica. Lá, nos Estados Unidos, motoristas estão se suicidando por não conseguirem cumprir seus compromissos financeiros com o que ganham no aplicativo. Aqui, quem vai se suicidar serei eu, se continuar a ser cobrado da forma como hoje.

VAIS VOTAR EM QUEM?

Resultado de imagem para Candidatos a presidente na Globonews

A ideia da Globonews de mostrar os principais candidatos à presidência da república durante duas horas foi muito boa. Ruim foi a performance dos jornalistas – todos considerados de primeiro time – durante as entrevistas. Talvez estivessem em número maior que o ideal e, por isso, queriam aparecer mais fazendo com que alguns tivessem um desempenho desastroso. A imprensa tem papel fundamental para nos ajudar a escolher o próximo presidente, mas não creio que seja através da desconstrução da imagem de cada um dos candidatos como o fizeram naquela ocasião.

Mesmo assistindo atentamente àqueles programas, continuo sem saber em quem votar. Tenho a certeza de que é preciso mudar, mas com quem? Pensei no Bolsonaro, para termos um governo mais forte que acabe realmente com a corrupção, mas ele é radical demais. Pensei no Alkmin, mas não vejo ali, alguma mudança, apesar das promessas. E essa união com o Centrão, mesmo podendo facilitar seu eventual governo, cai no mesmismo da podridão atual. Pensei na Marina, mas acho que ela não tem a energia exigida para um cargo tão desgastante. Pensei no Meirelles, mas vejo a figura do Temer colada nele. E do Temer, eu não é distância. Pensei no Ciro, inteligente, bom gestor, mas os vídeos que se veicula na internet com seus rompantes, me amedrontam. Pensei naqueles de menor visibilidade e, pela pouca experiência, não teriam, a meu ver, competência para o cargo. Pensei no Álvaro Dias e ainda procuro seu ponto negativo, mas já, já, eu encontro. Só não pensei no PT, porque a lição do que eles nos deixaram como herança, me foi dura demais. E continuo me perguntando: Vou votar em quem?

PESQUISA, O TERMÔMETRO DO MARKETING!

Resultado de imagem para pesquisas

Se você ainda não entende ou mesmo não acredita em pesquisas, está ai uma grande oportunidade para resolver este problema e conhecer melhor essa importante ferramenta de marketing, especialmente nesta época em que as pesquisas eleitorais estão quase que cotidianamente na mídia. A SANDBOX está lançando o EXPLORES, um curso em 10 dias, com 30 horas/aula, somente às 5as feiras entre 19:30h e 22:30h. Ali, o participante terá uma visão abrangente das principais técnicas de pesquisa aplicadas ao universo de marcas e negócios. Mais do que isso, vai entender os elementos necessários para que a pesquisa seja, de verdade, útil. Os cursos da SANDBOX são reconhecidos pela prática, pelo feedback e a qualidade de seus professores. Em cada módulo oferece ainda uma aula #LIVE, onde os alunos poderão viver diferentes experiências no universo da geração de conhecimento. Imperdível para a turma de marketing, de comunicação e para aqueles que topam uma boa discussão sobre os resultados das pesquisas.

Maiores informações pelo telefone 11 94792-9651 com o Renato Santos ou alguém de sua assessoria.

O   PESADELO   UBER

Resultado de imagem para Uber

Ando de Uber, pelo menos, 90 vezes a cada mês. Já me deram até o título de Cliente Vip, mas o que se está fazendo com seus motoristas pode criar uma enorme complicação para a marca. O que já foi o sonho de muitos profissionais do volante ou a salvação de outros tantos desempregados, está virando um enorme pesadelo. O preço do combustível ajuda a construir o desastre, mas a taxa de 25% (às vezes ainda é maior segundo as regras internas) que a UBER cobra de seus motoristas está inviabilizando o projeto. Não acredito que o mesmo venha ocorrendo em outros países onde a empresa atua, já que do lado de lá do mundo existe mais coerência, seriedade e respeito aos colaboradores de uma empresa de serviços. Sabe-se que eles são uma mídia importante para fortalecer ou para destruir uma marca, já que podem se manifestar contra ou a favor da empresa enquanto exercem suas atividades. É uma pena. A UBER tem perdido muitos profissionais. E ganha outros, mas somente para se manterem empregados até descobrirem a realidade dos fatos. Há algum tempo venho afirmando que a UBER é excelente para nós, clientes, e péssimo para os seus motoristas. Ou a UBER reconquista seus motoristas ou corre o risco de ir parar na oficina.

A ARTE DO TONINHO EUZÉBIO

Resultado de imagem para exposição Interferências Toninho Euzébio

Como publicitário, é um dos melhores. Como artista plástico, ele arrasa. Depois de participar de vários eventos em Brasília e em Nova Iorque, descoberto e incentivado pela Rede Globo, Toninho Euzébio expõe, agora, no Palácio do Planalto, no evento chamado “Interferências”, perfeitamente adequado às características de suas criações. Sua arte é uma festa. Alegre, diversificada, divertida. Um belo programa que vai até o dia 23 de agosto, este mês dos ventos, os mesmos ventos que trouxeram Toninho Euzébio para junto de nós. O apoiador é a Gráfica Movimento, tão competente quanto o apoiado,  que não perde uma oportunidade de juntar sua marca a artistas de valor. Podem ir à essa exposição sossegados. Mesmo sendo na Ala A do Anexo III do Palácio do Planalto e das 11h às 16h, não tem o perigo de cruzar com pessoas indesejáveis. Nada a “temer”.

 

SOLUCIONÁTICA

Recebi convite do Renato Santos para participar de um importante evento em São Paulo. Não poderei ir por compromissos já assumidos, mas como não sou egoísta, passo ao conhecimento dos nossos leitores.

Uma das habilidades mais procuradas por qualquer empresa hoje em dia é “problem-solving”, ou seja, a capacidade do profissional chegar a soluções que respondam a problemas de modo eficiente e não com uma criatividade vazia, que não leva a lugar nenhum.  E o Solucionática está oferecendo um curso só para treinar isso. Lá se fala em estratégia e a maneira como essa disciplina aborda e resolve problemas, fazendo escolhas precisas, alocando recursos escassos de maneira inteligente e buscando sempre, sempre, eficiência. E, claro, sem deixar a criatividade de lado, porque, no fim das contas, é nela que estão as soluções mais interessantes. Nada mais importante no Brasil de hoje. O curso começa daqui a pouco, em 5 de setembro e com apenas 21 horas/aula e muita mão na massa e feedback. Acreditamos que estratégia só se aprende na troca e na prática. As turmas são enxutas, pra dar tempo e espaço para todo mundo ser ouvido e num clima de casa, com zero formalidade, zero salinha de aula. Um ambiente descontraído, para relaxar e curtir a experiência.

Maiores informações, liguem para o Renato Santos no 11 94792.9651.

O FEITIÇO E O FEITICEIRO

Resultado de imagem para Bolsonaro na Tv Cultura

A entrevista do programa Roda Viva de ontem, na Tv Cultura, com o candidato Jair Bolsonaro, mostrou que um grave erro da produção ao selecionar os jornalistas deu uma enorme vantagem ao entrevistado. O que se viu foi o flagrante despreparo dos “perguntadores”, preocupados exclusivamente em fazer desmoronar o candidato sem buscar o que mais interessava ao eleitor: sua proposta de governo. Assim, o despreparado grupo de jornalistas viu o feitiço virar contra o feiticeiro. Preocuparam-se exclusivamente em desconstruir o candidato e acabaram sendo seus grandes cabos eleitorais.

Bolsonaro é Fundamental. Será?

Não estou fazendo campanha eleitoral, até porque ainda não tenho candidato, nem tomando partido da jornalista Claudia Wild que escreveu este artigo, mas acho que ele  merece leitura, especialmente entre os não radicais

Resultado de imagem para bolsonaro

Na verdade o Brasil vive um paradoxo entre seus desejos realizáveis e as exigências fictícias! Nunca tivemos um país tão inculto, com tantos analfabetos funcionais, tomado pela barbárie e pela falta de civilização, mas em contrapartida, as exigências para a política se colocam à procura de um heroico e santo salvador, que seja culto, probo, desligado da velha arte de fazer política, que possa trazer a moralização total, e claro – que agrade uma elite intelectual que sempre aprendeu male-male o beabá da tabuada, e arrota ensinamentos de Albert Einstein. Uma turma que tem no atraso de Woodstock a explicação do próprio atraso brasileiro. Muitos acusam Bolsonaro de “tosco“ e “despreparado“, mas não se atentam para o que tivemos num passado recente. Tivemos dois presidentes toscos (um analfabeto e outra semi-alfabetizada) que ganharam o coração de boa parte dos brasileiros e que jamais tiveram suas competências questionadas.

Já um capitão do Exército que tem boa formação educacional e moral, é sumariamente rechaçado por uma turma que só curte uma aparência cool de um idealismo que não leva em conta a barbárie civilizacional brasileira e que deve, portanto, ser enfrentada por alguém corajoso e sem o politicamente correto (tão adorado por cegos seguidores que não conseguem mensurar as consequências trágicas que poderão vir ao adotar essa utopia de defender as minorias sem pensar no coletivo). Bolsonaro pode ter sido desmedido em algumas falas, não é perfeito, não é nenhum salvador da pátria, mas tem honestidade – que para o brasileiro não vale se estiver divorciada de chavões retóricos, de vernizes literários, de competências financeiras (que inclusive Lula e Dilma nunca tiveram). Daí a implicância com relação ao seu nome e o que ele se propõe. Segundo meu amigo Mozart Lisboa, “Bolsonaro agride o senso estético do provincianismo intelectual brasileiro”. É isto, um povo extremamente ligado à “jecura” da nossa suposta elite intelectual que tem “nojinho“ de quem fala a verdade direta, crua, sem rodeios e que está disposto a colocar a mão na massa. Bolsonaro precisa de uma boa equipe, bons assessores ligados à competência e não aos apadrinhamentos políticos – geralmente espúrios e regados a muita corrupção. As deficiências de Bolsonaro, para um país que teve Sarney, Collor, Lula e Dilma, a nação tira de letra. Os defeitos de Bolsonaro são muito menos importantes do que as suas qualidades, estas absolutamente necessárias ao país neste momento. Um homem honesto, corajoso, patriota e que não está comprometido com este nefasto projeto de poder marxista que varreu a possibilidade de deixarmos nosso subdesenvolvimento nos próximos 20 anos. Em sendo assim, para começarmos uma nova fase, Bolsonaro será fundamental. Já tentam caricaturá-lo como fizeram com o saudoso Enéas Carneiro. Tentam manchar, 24 horas por dia, sua ilibada conduta e reputação política. Tentam afastar o brasileiro do caminho certo, e tenho que não conseguirão!  Sabem por quê?

Estamos enfastiados de canalhas e de homens sem compromisso com o Brasil. No que depender de mim, Bolsonaro será o próximo presidente brasileiro. Está com o tal “nojinho“ e repetindo os jargões de intelectuais de meia-tigela? Mude-se para a Inglaterra e aguarde a futura encarnação de Churchill ou da Thatcher, ou então encare a nossa realidade! O que há de melhor no Brasil neste momento. Sim, ele, o Capitão.”

GRANDES ESTRATEGISTAS !

Resultado de imagem para ambev

O sucesso da AMBEV não é de graça. Os caras são grandes estrategistas. Ao divulgarem esta semana os resultados trimestrais, mostram que não foram impactados pela greve dos caminhoneiros. Os volumes de cerveja e de refrigerante cresceram acima do desempenho estimado para o setor. Com isso, o EBITDA apenas das operações de cerveja no Brasil atingiu 2,061 bilhões de reais, 11,1% acima do mesmo período do ano anterior. A receita líquida cresceu 9,2%. Tendo em vista a Copa do Mundo, período de festa em que as vendas geralmente sobem, a Ambev não paralisou a sua linha de produção durante o protesto, ao contrário do que fizeram as montadoras de veículos e outras indústrias. Quando o torneio começou e a logística voltou ao normal, os produtos Brahma e Antarctica tiveram o estoque aliviado, aproveitando o aumento da demanda. Grandes estrategistas!